Jurados

Conheça o corpo de jurados do Prêmio Jabuti 2020.
 

Literatura

Conto

Foto: Divulgação

Cristiane Sobral

Carioca e vive em Brasília. Multiartista, é escritora, poeta e atriz. Bacharel em Interpretação e mestre em Artes (UnB). Licenciada em Teatro. Professora de Teatro da SEDF. Começou a publicar em 2000 na antologia “Cadernos Negros” (Ed. Quilombhoje). Tem nove livros publicados em prosa, dramaturgia e poesia. Dirigiu o grupo de teatro Cabeça Feita por 17 anos, criando peças como “Dra. Sida”, “Uma boneca no lixo” e “Petardo, será que você aguenta”. Em 2019 palestrou sobre literatura negra em nove universidades estadunidenses inclusive Harvard. Em 2020 criou o selo editorial Aldeia de Palavras e o projeto Curso de Escrita Criativa, com 11 turmas, mais de 150 alunos e 2 publicações: uma antologia de contos e uma de poesia com poetas de São Tomé e Príncipe (projeto Ilha de Palavras) textos em português, forro e criolo.






Foto: Divulgação

Emerson Inácio

Professor da área de Estudos Comparados de Literaturas de Língua Portuguesa da FFLCH desde 2006, é livre docente pela USP (2016) e doutor em letras vernáculas, pela UFRJ (2006). Publicou "A herança invísivel" (EdUEA, 2013) e "Retratos do Brasil Homossexual” (EdUSP/Imprensa Oficial 2010), bem como artigos e ensaios em revistas brasileiras e estrangeiras. Desde seu mestrado (UFF, 1999), dedica seus interesses de pesquisa sobre as questões das sexualidades, dos gêneros identitários e, mais recentemente, sobre raça-etnia (afrocentricidades), em particular aquelxs autorxs marcados multiplamente por signos da diferença, com ênfase para as relações entre as afrodescendências e as sexualidades.






Foto: Divulgação

Luciana Hidalgo

Escritora e doutora em Literatura Comparada pela UERJ, com dois pós-doutorados na área de Letras: um realizado na UERJ de 2007 a 2010, período em que deu aulas no Instituto de Letras, e outro na Université Sorbonne Nouvelle – Paris 3 em 2011-2012, na França, onde é pesquisadora associada. É autora da biografia “Arthur Bispo do Rosario – O senhor do labirinto” (premiado com um Jabuti em 1997 na categoria Reportagem), do ensaio “Literatura da urgência – Lima Barreto no domínio da loucura” (premiado com um Jabuti em 2009 na categoria Teoria/Crítica Literária) e dos romances “O passeador” (contemplado com a Bolsa Funarte de Criação Literária 2010) e “Rio-Paris-Rio” (selecionado pelo Programa de Residência para Escritores da Maison des Écrivains Étrangers et Traducteurs de Saint-Nazaire, na França).






Crônica

Foto: Divulgação

Cidinha da Silva

Escritora e editora na Kuanza Produções (www.kuanzaproducoes.com.br). Publicou 17 livros distribuídos pelos gêneros: crônica, conto, ensaio, dramaturgia e infantil/juvenil. “Um Exu em Nova York”, recebeu o Prêmio da Biblioteca Nacional (contos, 2019), escreveu também “# Parem de nos matar!”, “Os nove pentes d’África”, “Oh...margem! Reinventa os rios!” e “Africanidades e relações raciais: insumos para políticas públicas na área do livro, leitura, literatura e bibliotecas no Brasil”. “Explosão Feminista” (ensaio), do qual é coautora, foi finalista do Jabuti, e recebeu o Prêmio Rio Literatura 4ª edição, ambos em 2019. Tem publicações em alemão, catalão, espanhol, francês, inglês e italiano. É curadora e âncora do programa-web Almanaque Exuzilhar (YouTube).






Foto: Divulgação

Egon de Oliveira Rangel

Mestre em Linguística pelo Instituto de Estudos da Linguagem da Universidade Estadual de Campinas. Professor concursado do Departamento de Ciências da Linguagem e Filosofia da PUC-SP. Tem desenvolvido trabalhos no âmbito de políticas públicas federais, estaduais e municipais, junto a diferentes tipos de profissionais e/ou agentes da escrita e da leitura, desde professores de redes públicas até bibliotecários municipais, agentes de saúde e livreiros. Participou da equipe responsável pela elaboração dos Parâmetros Curriculares Nacionais de Língua Portuguesa (5ª a 8ª séries). Coordenou as equipes de Língua Portuguesa nos processos de Avaliação do Livro Didático e de dicionários escolares destinados ao Ensino Fundamental e Médio promovidos pelo MEC, de 1995 a 2015. Foi membro do Comitê Assessor da Secretaria de Educação Superior (SESu) do MEC (2002 a 2004) e consultor e/ou leitor crítico da BNCC – Língua Portuguesa.






Foto: Divulgação

Luana Chnaiderman

Nascida em São Paulo, é formada em Letras pela USP onde também fez mestrado. É professora de Português no Colégio Equipe (SP) e também dá cursos e oficinas de escrita criativa. Escritora, publicou, entre outros, os seguintes livros: “Minhocas” (Cosac e Naify, 2014), “Fuga” (FTD, 2017), “Os animais domésticos e outras receitas” (Perspectiva, 2018, semifinalista do prêmio Jabuti, 2019). Coordena a coleção Arranha-céu, dedicada à literatura contemporânea em língua portuguesa, da Editora Perspectiva, em São Paulo.






Histórias em Quadrinhos

Foto: Divulgação

Germana Viana

Quadrinista, nasceu em Recife/PE, mas já está em São Paulo tempo o suficiente para ter misturado os dois sotaques. É autora de “Lizzie Bordello e as Piratas do Espaço 1 e 2”, “As Empoderadas” (vencedor do troféu HQMix na categoria WebQuadrinhos),” GdM Apresenta: PATRÍCIA” e “Só Mais Uma História de uma Banda”. A autora é, ainda, a editora e uma das autoras de “Gibi de Menininha - Historietas de Terror e Putaria” (Vencedor do troféu Angelo Agostini na categoria de Melhor Lançamento de 2018 e do HQMix na categoria Melhor Revista Mix de 2018), de “Gibi de Menininha - O Faroeste é Mais Embaixo” e de “Os Catecismos de Mama Jellybean”. Germana é também uma das três partes do selo The Good, The Bad and the Gorgeous, responsável pelo gibi “Ménage”.






Foto: Divulgação

Lucio Luiz

Jornalista, editor, escritor e roteirista de histórias em quadrinhos. Doutor em Educação pela Universidade Estácio de Sá com tese sobre a percepção que os professores têm sobre o uso das HQs em sala de aula, é autor de livros infantis, como “A Mamãe Tamanduá” e “Palavras, Palabras”, e organizador de livros teóricos, como “Os Quadrinhos na Era Digital” e “Reflexões Sobre o Podcast”. Ganhou o Prêmio Abril de Personagens em 2012 e o Prêmio Angelo Agostini em 2014, ambos pela HQ “Meninos e Dragões”, obra criada em parceria com o desenhista Flavio Soares. Como roteirista, também participou de coletâneas como “Café Espacial 13” e “Feitiço da Vila: a poesia de Noel Rosa em quadrinhos”. É fundador e editor-chefe da Marsupial Editora e do selo de quadrinhos Jupati Books.






Foto: Divulgação

Marcelo D'Salete

Autor de histórias em quadrinhos, ilustrador e professor. Estudou Design Gráfico, é graduado em Artes Plásticas e mestre em História da Arte. Publicou o álbum “Cumbe” (Veneta, 176 páginas, 2014), que aborda o período colonial e a resistência negra contra a escravidão no Brasil. O livro foi publicado em Portugal, França, Áustria, Itália, Espanha e EUA (Fantagraphics). “Cumbe” foi selecionado pelo PNLD literário de 2019 para o Ensino Médio, Plano Ler + como recomendação de leitura para escolas de Portugal e premiado no Eisner Awards 2018 na categoria Best U.S. Edition of International Material. “Angola Janga - Uma história de Palmares” (Veneta, 432 páginas, 2017) trata dos antigos mocambos da Serra da Barriga, mais conhecidos como Quilombo dos Palmares. “Angola Janga” foi agraciado pelo Prêmio Grampo Ouro 2018, HQMIX 2018, Jabuti 2018 e o Rudolph Dirks Award 2019 (Melhor Roteiro América do Sul). A obra foi selecionada pelo PNLD literário de 2019 para o Ensino Médio. O livro foi publicado também na França, Portugal, Áustria, Espanha, Polônia e EUA. A obra “Encruzilhada” (Veneta, 160 páginas), relançado em 2016, trata de violência, jovens negros e discriminação em grandes cidades.






Infantil

Foto: Divulgação

Daisy Carias

Criadora de conteúdo do canal A Cigarra e A Formiga. Jornalista formada pela UFPR, especializou-se em Literatura Infantil e Juvenil pelo Instituto Vera Cruz e há 10 anos estuda o assunto. Em 2019, em parceria com a editora Amelì, deu início ao selo “Coleção da Cigarra”, que já publicou os títulos “A Guerra” e “Clara e o Homem na Janela”.






Foto: Divulgação

Gustavo Kurlat

Autor, compositor, tradutor, educador, diretor e diretor musical de teatro e cinema. Realizou trabalhos para mais de 60 peças teatrais, cinema, livros, discos e publicidade. Já obteve os prêmios SHELL, APCA e FEMSA de Teatro, como autor e compositor. Seu livro "Quando Blufis ficou em silêncio", em parceria com Lorena Nobel, foi indicado ao Prêmio Jabuti. Dirigiu os shows da “Palavra Cantada” durante 10 anos. Foi júri do Prêmio Governador do Estado. Em parceria com Ruben Feffer, compôs e produziu a trilha sonora dos longas de animação "O Menino e o Mundo" e “Tito e os Pássaros” e do curta "Guida", filmes com inúmeras premiações no mundo todo, entre outros o festival de Annecy, Anima Mundi de SP e RJ, festivais de Chicago, Ottawa, Zagreb, Grande Prêmio do Cinema Brasileiro, melhor música no festival de Lisboa e uma indicação para o OSCAR para “O Menino e o Mundo”.






Foto: Divulgação

Kiusam de Oliveira

Nascida em Santo André/SP, chegou no MNU em 1980, quando tinha 15 anos. Cursou Magistério, Pedagogia com habilitações em Administração Escolar, Orientação Educacional e Deficiência Intelectual (FSA e USP). Mestrado em Psicologia e doutorado em Educação (USP). Viaja todo o Brasil formando educadores nos assuntos focados nas relações étnico-raciais e práticas pedagógicas capazes de libertar pessoas dos preconceitos e práticas racistas. Por treze anos foi gestora pública na Secretaria de Educação de Diadema/SP, chefiando a Educação Especial e Implementando a lei 10.639/03 (até 2016). Bailarina e coreógrafa desde a infância, teve, na área da dança e corporeidade, seus primeiros mergulhos como contadora de histórias. Escritora premiada e seu mais recente lançamento é “O Black Power de Akin", pela Editora de Cultura, obra que dá continuidade às suas abordagens nas temáticas dos direitos humanos e relações étnico-raciais para o público infantil. Artista multimídia. Iyalorixá.






Juvenil

Foto: Divulgação

Carlos Honorato

É pedagogo, biblioterapeuta e especialista em Literatura Infantil e Juvenil pela UFF. Atua como colaborador e mediador de leitura na Biblioteca Comunitária Wagner Vinício na Comunidade de Rio das Pedras/RJ desde 2005. Coautor do livro: “Expedição Leituras: Tesouro das Bibliotecas Comunitárias no Brasil” e administrador da mídia social @feitodelivros no Instagram.






Foto: Divulgação

Júlio Emílio Braz

Iniciou sua carreira como escritor de roteiros para histórias em quadrinhos, publicadas no Brasil, Portugal, Bélgica, França, Cuba e EUA. Tem quase duzentos títulos publicados. Publicou mais de quatrocentos títulos de bolso entre os anos de 1983 e 1990 por editoras como Monterey, Cedibra, Nova leitura e Margittai sob mais de trinta pseudônimos, além de novelas voltadas para o gênero de faroeste. Em 1989, recebeu o Prêmio Jabuti de autor revelação da Câmara Brasileira do Livro por seu primeiro livro infantojuvenil: “Saguairu”. Em 1990, escreveu roteiros para o programa Os Trapalhões, da TV Globo, e algumas mininovelas para a televisão do Paraguai. Em 1997, ganhou o Austrian Children Book Award, na Áustria, pela versão alemã do livro “Crianças na escuridão” (Kinder im Dunkeln) e o Blaue Brillenschlange do Instituto Federal de Cultura da Suíça. No mesmo ano e com o mesmo livro ganhou menção honrosa num terceiro prêmio na Alemanha.






Foto: Divulgação

Sandra Medrano

Formada em Pedagogia (USP), mestrado em Educação pela Faculdade de Educação da Universidade de São Paulo (USP) e especialização em Livros e literatura para crianças e jovens pela Universidade Autônoma de Barcelona, na Espanha (UAB). Trabalhou como professora e coordenadora de Educação Infantil e professora e coordenadora de Educação de Jovens e Adultos. Atuou como formadora do Programa Parâmetros em Ação e assessora da Coordenação de Educação de Jovens e Adultos do Ministério da Educação. Atualmente é coordenadora pedagógica da área de língua da Comunidade Educativa CEDAC, coordenadora da biblioteca do Colégio Santa Cruz e professora da pós-graduação do Instituto Vera Cruz, no curso Livros e Leitura para crianças e jovens. Foi júri dos prêmios literários Barco a Vapor (Edições SM), Destaques Emília (Revista Emília), Os 30 melhores livros do ano (Revista Crescer) e prêmio IPL-Retratos da Leitura no Brasil, 2018 e 2019.






Poesia

Foto: Divulgação

Edimilson Pereira

Docente de Literatura Portuguesa e Literaturas Africanas de Língua Portuguesa na Faculdade de Letras da Universidade Federal de Juiz de Fora. Na área de antropologia social publicou, dentre outros, os livros “Do presépio à balança: representações sociais da vida religiosa” (Mazza Edições, Belo Horizonte, 1995), “ Entre Orfe(x) e Exunouveau: análise de uma epistemologia de base afrodiaspórica na Literatura Brasileira” (Azougue, Rio de Janeiro, 2017). Na área de literatura infantil e infantojuvenil editou, dentre outros, “Os reizinhos de Congo” (Paulinas, São Paulo, 2004) e “Poemas para ler com palmas” (Mazza Edições, Belo Horizonte, 2017). Sua obra poética foi reunida nos volumes “Zeosório blues” (2002), “Lugares ares” (2003), “Casa da palavra” (2003) e “As coisas arcas” (2003). Publicou “Poesia + antologia 1985-2019” (Editora 34, São Paulo, 2019).






Foto: Divulgação

Laura Erber

Escritora, crítica e professora universitária. Colabora em diversas revistas e jornais, tais como Suplemento Pernambuco e caderno Ilustrada, da Folha de São Paulo. Entre 2012 e 2019 atuou como professora adjunta do departamento de Estética e Teoria do Teatro da Unirio, e como professora de Teoria da Arte no Programa de Pós-Graduação em Artes Cênicas da mesma universidade. É autora de diversos livros, entre eles, “Esquilos de Pavlov” (Alfaguara, 2013), “A Retornada” (Relicário, 2017), e “Nadinha de Nada” (Cia das Letrinhas, 2016). Dirige a Zazie Edições, editora independente, voltada para a tradução e difusão de bibliografia teórico-crítica relevante para o debate contemporâneo em diferentes áreas. Atualmente é professora visitante de Estudos Brasileiros na Universidade de Copenhague.






Foto: Divulgação

Nívea Sabino

Escritora, poeta-slammer, ativista de Direitos Humanos e educadora social. Autora de “Interiorana”, Nívea Sabino é graduada em Comunicação Social e membro fundadora da Academia Nova-Limense de Letras - ocupa a cadeira de número um. Possui uma importante trajetória de ativismo poético no que tange o enfrentamento ao racismo, à lesbofobia, ao sexismo e outras formas de opressão, através da palavra, pelos saraus de periferias. É uma das articuladoras da RodaBH de Poesia e mulher pioneira nas competições de Poesia Falada – Slam’s, em Minas Gerais. O seu trabalho mais recente é a cocuradoria do Festival Literário Internacional de BH 2019 - com a temática #NarrativasVivas.






Romance de Entretenimento

Foto: Divulgação

Diego Ribeiro

Empresário, faixa preta de jiu-jitsu, booktuber e blogueiro editor do "Stalo". Seus artigos e resenhas contundentes, e por vezes poéticas, são utilizadas periodicamente pelas maiores editoras do país como LeYa, Arqueiro, Suma de Letras, Record, Bertrand, Morro Branco etc. Ele reside no RJ com sua esposa Lívia, sua filha Ayla e seus dois gatos vikings Floki & Helga em meio à sua biblioteca com mais de 4.000 livros.






Foto: Divulgação

Laura Bacellar

Formada em Editoração pela ECA-USP, trabalha em editoras desde a década de 1980. Começou na Paz e Terra como estagiária e já ocupou todas as funções editoriais – de produtora na Hemus a editora-chefe na Brasiliense. Fundou o selo Edições GLS, foi sócia da editora Malagueta, e trabalhou como editora em casas pequenas, como a Mercuryo, e enormes, como a Scipione. Lançou “Escreva seu livro – guia prático de edição e publicação” (Mercuryo, 2001), adaptou clássicos do inglês para a editora Scipione, foi ghostwriter e coautora de títulos muito variados. O mais recente é “Marketing para autores – técnicas simples para divulgar e vender seu livro” com Sidney Guerra (SGDZ, 2019). Dá cursos para autores e editores em instituições como a Universidade do Livro, ligada à Unesp. Mantém o site www.escrevaseulivro.com.br e o canal no YouTube Escreva seu Livro.






Foto: Divulgação

Tadeu Sarmento

Autor de “Associação Robert Walser para sósias anônimos” e “E se Deus for um de nós?”, entre outros. Ganhou o II Prêmio Pernambuco de Literatura e o Prêmio Governo de Minas Gerais de Literatura de 2016, com “Um Carro Capota na Lua”, publicado pela Tercetto. Em 2017, conquistou o 13º Prêmio Barco a Vapor, com o juvenil “O Cometa é um Sol que não deu Certo”, publicado pela Edições SM. Em 2020, foi novamente finalista do Prêmio Barco a Vapor, desta vez com dois livros.






Romance Literário

Foto: Divulgação

Lucrecia Zappi

Escritora paulistana nascida em Buenos Aires, é autora de dois romances: “Onça Preta” (Benvirá, 2013) e “Acre” (Todavia, 2017), finalista do Jabuti. Seu primeiro livro, “Mil-folhas” (Cosac Naify, 2010), venceu o prêmio Ragazzi. Jornalista e tradutora, Lucrecia tem mestrado em Escrita Criativa pela NYU e mora em Nova York. No momento prepara novo romance, além de um livro de poemas em espanhol.






Foto: Divulgação

Marilia Arnaud

Contista e romancista, Marilia é paraibana de Campina Grande, e vive em João Pessoa. Publicou quatro livros de contos, entre eles: “Os campos noturnos do coração” (Prêmio Novos Autores – UFPB, 1997) e “O livro dos afetos” (7letras, 2005), dois romances, “Suíte de Silêncios” (Rocco, 2012) e “Liturgia do fim” (Tordesilhas, 2016), e um infantil, “Salomão, o elefante” (Off Flip, 2013). Participou de diversas coletâneas: “+ 30 mulheres que estão fazendo a nova literatura brasileira” (Record, 2005); “Contos cruéis – As narrativas mais violentas da literatura brasileira contemporânea” (Geração Editorial, 2006); “Capitu mandou flores – contos para Machado de Assis nos cem anos de sua morte” (Geração Editorial, 2008); “50 versões de amor e prazer” (Geração Editorial, 2012); “Vou te contar – 20 histórias ao som de Tom Jobim” (Rocco, 2014); “Nove, Novena: Variações das Narrativas de Osman Lins” (Olho D’Água, 2016).






Foto: Divulgação

Rodrigo Casarin

Jornalista, especialista em Jornalismo Literário com pós-graduação pela Academia Brasileira de Jornalismo Literário e editor do Página Cinco (paginacinco.blogosfera.uol.com.br), blog de livros do UOL. Além disso, colabora ou já colaborou escrevendo sobre o universo literário em veículos como Valor Econômico, Aventuras na História, Carta Capital, Revista da Cultura, Revista Continente, Suplemento Literário Pernambuco, Jornal Rascunho e Cândido. Integrou o júri do Oceanos – Prêmio de Literatura em Língua Portuguesa em 2018, 2019 e 2020 e o júri do Prêmio Jabuti nos anos de 2019 (categoria Biografia, Documentário e Reportagem) e 2020 (categoria Romance Literário). Vive em São Paulo.






Ensaios

Artes

Foto: Divulgação

Ângela Castelo Branco

É poeta e arte educadora. Doutora em Artes pelo Instituto de Artes da Unesp. Fundadora d'A Casa Tombada [Lugar de Arte, Cultura, Educação], localizada em São Paulo. Coordenadora da pós-graduação Gestos de Escrita como prática de risco. Autora dos livros "Epidermias" e "É vermelho o início da árvore".






Foto: Divulgação

Denise Mattar

Foi curadora do Museu da Casa Brasileira, São Paulo de 1985 a 1987, do Museu de Arte Moderna de São Paulo, de 1987 a 1989 e do Museu de Arte Moderna (Rio de Janeiro) de 1990 a 1997. Como curadora independente realizou mostras retrospectivas de artistas como Di Cavalcanti, Flávio de Carvalho (Prêmio APCA), Ismael Nery (Prêmios APCA e ABCA), Pancetti, Anita Malfatti, Samson Flexor (Prêmio APCA), Maria Tomaselli, Norberto Nicola, Alfredo Volpi, Guignard, entre outros. Em 2019 recebeu novamente o Prêmio APCA pela retrospectiva de Yutaka Toyota apresentada no Museu de Arte Moderna do Rio de Janeiro, Museu de Arte Brasileira da FAAP, São Paulo e Museu Nacional, Brasília, DF.






Foto: Divulgação

Renan Inquérito

RAPeiro e SARAUzeiro, utiliza a música e a literatura como ferramenta de transformação social. Rapper, compositor, mestre (sem) cerimônias em Geografia e Poesia, doutor em Educação Ostentação, escreveu os livros “Poucas Palavras” (2011) e “Poesia Pra Encher a Laje” (2016). Atua na cultura hip-hop desde 1997, quando fundou o grupo de rap Inquérito, com o qual produziu 8 discos, dezenas de músicas e videoclipes. Além dos palcos, percorre escolas e unidades do CRAS, CREAS e Fundação CASA, realizando saraus, shows, debates e oficinas. Universidades, presídios e bibliotecas são territórios comuns para sua arte, suas letras já foram temas de vestibulares e são frequentemente utilizadas em aulas e livros didáticos, provando a afinidade do rap com a poesia e a literatura. No cinema compôs a trilha sonora original do filme “Triunfo”, e com o sociólogo português Boaventura de Sousa Santos escreveu o roteiro do espetáculo Ópera Rap Global (2013) além de participar do livro “Na Oficina do Sociólogo Artesão” (2019).






Biografia, Documentário e Reportagem

Foto: Divulgação

Ana Lima Cecilio

Formada em Filosofia pela USP e, desde 2001, trabalha no mercado editorial. Foi editora na Labortexto Editorial, trabalhou na comunicação da Cosac Naify, foi coordenadora editorial na Biblioteca Azul, da Globo Livros, e atualmente é editora na Carambaia, além de colaborar com diversas outras editoras, como freelancer.






Foto: Divulgação

José Abílio Ferreira

Integrou o grupo Quilombhoje Literatura (1984 a 1990), tendo também participado de vários volumes da antologia anual “Cadernos Negros”, além da sua produção individual e em coautoria. É especialista em Cidades, Planejamento Urbano e Participação Popular pela UNIFESP, mestrando no Programa de Pós-Graduação Humanidades, Direitos e Outras Legitimidades da FFLCH/USP, e coordenador do Movimento pela Valorização do Sítio Arqueológico dos Aflitos, no bairro paulistano da Liberdade. Organizou o livro “Tebas: um negro arquiteto na São Paulo escravocrata (abordagens)”, lançado em 2019, numa parceria entre o Instituto para o Desenho Avançado (IDEA) e o Conselho de Arquitetura e Urbanismo de São Paulo (CAU/SP).






Foto: Divulgação

Joselia Aguiar

Jornalista da área de livros, editora, curadora e autora de não ficção. Com “Jorge Amado – uma biografia” foi vencedora do prêmio Jabuti 2019 na categoria Biografia, Documentário e Reportagem. É bacharel em Comunicação Social (UFBA), mestre e doutora em História (USP). Trabalhou na Folha de São Paulo como repórter, redatora, correspondente em Londres e colunista de livros. Editou EntreLivros, revista mensal de livros já extinta. Foi curadora do Festival da Mantiqueira (2014) e da Festa Literária Internacional de Paraty – FLIP (2017-2018). É a atual diretora da Biblioteca Mário de Andrade, a maior de São Paulo e a segunda maior do país em acervo.






Ciências

Foto: Divulgação

Diego Antonio Falceta Gonçalves

Professor titular da Universidade de São Paulo, é bacharel em Física e doutor em Astronomia, pela Universidade de São Paulo. Concluiu pós-doutorados na University of Wisconsin - EUA (2007 - 2008) e University of St. Andrews - Reino Unido (2013 - 2015). Criador do Planetário itinerante Cruzeiro do Sul, do qual foi diretor de 2008 a 2010. Implantou e dirigiu o curso de Aperfeiçoamento em Astronomia para professores, vinculado ao INCT-Astrofísica do CNPq. Um dos idealizadores proponentes do curso de Bacharelado em Biotecnologia da USP. Foi vice-diretor executivo da FUVEST (Fundação Universitária para o Vestibular, da USP). Atua na área de Astronomia, ênfase em Astrofísica de Plasmas. Autor de mais de 100 publicações científicas internacionais. É membro da Sociedade Astronômica Brasileira (SAB), da Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência (SBPC), e da União Astronômica Internacional (IAU).






Foto: Divulgação

Jaqueline Goes de Jesus

Graduada em Biomedicina pela Escola Bahiana de Medicina e Saúde Pública, mestre em Biotecnologia em Saúde e Medicina Investigativa (PgBSMI) pelo Instituto de Pesquisas Gonçalo Moniz - Fundação Oswaldo Cruz (IGM-FIOCRUZ) e doutora em Patologia Humana e Experimental pela Universidade Federal da Bahia em ampla associação com o IGM-FIOCRUZ. Desenvolve pesquisas na área das arboviroses emergentes ZIKV, DENV, CHIKV, YFV, ORV e MAYV. Atualmente desenvolve pesquisas como bolsista FAPESP, em nível de pós-doutorado, no Instituto de Medicina Tropical de São Paulo - Universidade de São Paulo (IMT-USP), no âmbito do CADDE - Brazil-UK Centre for Arbovirus Discovery, Diagnosis, Genomics and Epidemiology (http://caddecentre.org). É uma das integrantes da equipe responsável pelo sequenciamento genético do novo coronavírus dos primeiros casos de COVID-19 na América Latina.






Foto: Divulgação

Luiz Fernando Cunha

Jornalista, graduado na Faculdade Cásper Líbero, em São Paulo, em 1980. Desde 1998, atuou no Brasil e exterior como assessor de Comunicação na Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (FAPESP) depois de ocupar o mesmo cargo na Secretaria de Estado da Educação de São Paulo a partir de 1995.






Ciências Humanas

Foto: Divulgação

Bruno de Freitas Boghossian

Colunista de Política e Economia do jornal Folha de São Paulo em Brasília desde 2018. Também faz parte da equipe de apresentadores do podcast Café da Manhã, programa com a segunda maior audiência do Brasil no Spotify. Formou-se em Jornalismo pela UFRJ (Universidade Federal do Rio de Janeiro) e, em 2016, concluiu M.A. em Ciência Política pela Universidade Columbia, nos Estados Unidos, com foco em opinião pública, modelos estatísticos e política latino-americana. Foi repórter da coluna Painel e da sucursal de Brasília da Folha e trabalhou na revista Época, no jornal O Estado de São Paulo e na Globo News.






Foto: Divulgação

Maria Helena Pereira Toledo Machado

Professora titular do Departamento de História da USP e pesquisadora Produtividade em Pesquisa do CNPQ. Foi professora visitante na Universidade de Michigan e visiting fellow na Universidade de Harvard, Santander visiting fellow na Universidade de Newcastle (Reino Unido) e pesquisadora ano sabático no Instituto de Estudos Avançados da USP. É autora de livros e artigos sobre os temas da escravidão e do pós-abolição, tais como crimes e revoltas de escravos, movimentos sociais e abolição da escravidão, literatura de viagem e circulação de ideias raciais no mundo atlântico no século XIX e escravidão e gênero.






Foto: Divulgação

Tiganá Santana

Músico, poeta, tradutor e pesquisador, Tiganá Santana é, também, professor adjunto do Instituto de Humanidades, Artes e Ciências Prof. Milton Santos (IHAC), da Universidade Federal da Bahia (UFBA). Possui doutorado em Letras pela Universidade de São Paulo (USP) e é bacharel em Filosofia pela Universidade Federal da Bahia (UFBA). Suas investigações voltam-se, principalmente, para as linguagens, artes e cosmologias africanas, com ênfase em culturas bantu, estabelecendo-se os cruzamentos entre tais chaves de pensamento, a encontrar-se com construções afrodiaspóricas, e aquelas provenientes de outras experiências culturais não ocidentais e ocidentais. Recentemente, foi agraciado, em primeiro lugar, pela Associação Nacional de Pós-Graduação e Pesquisa em Letras e Linguística (ANPOLL) com o Prêmio Antônio Cândido de Teses e Dissertações por sua pesquisa de doutoramento.






Ciências Sociais

Foto: Divulgação

Manoel Soares

Nascido na Boca do Rio, periferia de Salvador/Bahia, atuando há mais de 25 anos nas áreas de processos comunicacionais e gestão social. Presidente estadual da CUFA RS – Central Única das Favelas, também atua como apresentador e repórter da TV Globo, é escritor, palestrante e educador mediático. Dedicado a mostrar os aspectos positivos e construtivos das favelas e periferias, acumula prêmios, entre eles, o 50º Prêmio Ari de Jornalismo e o Prêmio de Excelência Jornalística da Sociedade Interamericana de Imprensa (SIP). Como palestrante, já visitou mais de 240 cidades em 10 estados brasileiros, alcançando mais de 800 mil pessoas, em sua maioria jovens, gestores públicos e privados e comunidade em geral. Pai de seis filhos, em suas mídias sociais desenvolve o projeto pessoal de combater a masculinidade tóxica e paternidade qualificada dentro da periferia.






Foto: Divulgação

Pablo Ortellado

Doutor em Filosofia, professor de Gestão de Políticas Públicas e orientador no Programa de Pós-Graduação em Estudos Culturais na EACH-USP.






Foto: Divulgação

Valéria Almeida

Jornalista, pós-graduada em Gestão de Negócios Audiovisuais (FAAP) e pós-graduanda em Direitos Humanos (PUC). Há nove anos, atua na Rede Globo e, há quatro, é sócia da produtora Kanimambo Filmes. Estreou na TV pelo Profissão Repórter, desenvolvendo matérias com linguagem documental focadas em questões socioculturais. Atualmente, é repórter e apresentadora em programas de entretenimento. Também é comentarista na CBN-SP, onde analisa o cotidiano sob as óticas sociais e culturais. Em 2012, foi finalista do ‘Emmy Internacional’. Nos anos de 2013 e 2015 ganhou o Prêmio Globo de Jornalismo. Em 2016, escreveu um capítulo do livro “Profissão Repórter - 10 anos”. Em 2017, recebeu o Troféu Dandara dos Palmares, da OAB, por contribuir para a tolerância e o respeito interracial.






Economia Criativa

Foto: Divulgação

Edson Leite

Paulista, é chef de cozinha, empreendedor do Gastronomia Periférica e escritor do livro “Porque Criei a Gastronomia Periférica” (Ed. Inova - 2018), finalista do Prêmio Jabuti na categoria Economia Criativa no ano seguinte. Escolhido pela cozinha a partir das experiências de vida como imigrante ilegal em Lisboa, (2006-2012), aprendeu sobre culinária no restaurante Leitaria Gourmet, reconhecido pelo conceito dos copos azuis e pratos personalizados. No Brasil, formou-se em Serviço Social pela Uniesp (2016) e, desde então, vem desenvolvendo um trabalho sob a ótica da periferia, conscientização sobre desperdício e impacto social. É educador e auxilia na captação da campanha solidária para famílias em situação de vulnerabilidade nas periferias de São Paulo. Instagram: @chefedsonleite






Foto: Divulgação

Flávia Gasi

Doutora e mestre pela PUC-SP no programa de Comunicação e Semiótica. Sua dissertação de mestrado foi ampliada para se tornar o livro “Videogames e Mitologia”. Autora da HQ “Crônicas de Minas Gamedevs”. Atualmente é CEO da Forja, sócia do blog Garotas Geeks, fundadora do selo literário Bast! Editorial e colunista no site UOL TAB. Com vinte anos de experiência em jornalismo e comunicação no mercado gamer e de cultura pop, fundou um grupo de estudos chamado JOI – Jogos e Imaginário, e ministra aulas sobre narrativa.






Foto: Divulgação

Marcus Nakagawa

Professor da ESPM, coordenador do Centro ESPM de Desenvolvimento Socioambiental (CEDS); idealizador e conselheiro da ABRAPS (Associação Brasileira dos Profissionais de Sustentabilidade). Palestrante sobre sustentabilidade, empreendedorismo e estilo de vida. Vencedor do Prêmio Jabuti 2019/Economia Criativa com o livro “101 Dias com Ações Mais Sustentáveis para Mudar o Mundo” e coautor dos livros:” Marketing para Ambientes Disruptivos” e “Nosso mundo: não temos plano B”. www.marcusnakagawa.com






Livro

Capa

Foto: Divulgação

Carin Ades

Arquiteta formada pela Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da Universidade de São Paulo (FAU-USP), com passagem pela School of Visual Arts, em Nova York, onde se especializou em Design Gráfico. Trabalhou no Laboratório de Programação Gráfica da FAU-USP e atuou na direção de arte de projetos especiais da Folha de São Paulo, para a qual desenvolveu, entre outros, o Atlas Folha/New York Times, o Atlas Geográfico Folha e os Guias Visuais Folha/Dorling Kindersley. Dirige, há 26 anos, a Adesign, escritório especializado em comunicação institucional e branding. Com atuação também no mercado editorial, a Adesign participou de diversos projetos premiados, entre eles o livro “Mundo Jovem” (Fundação Tide Setúbal), finalista do prêmio Jabuti. É voluntária em projetos de educação e desenvolvimento humano, como o Amanhã Gente Grande, para o qual escreveu o livro infantil “Aonde a gente vai quando começa a sonhar”.






Foto: Divulgação

Didiana Prata

Designer gráfico, mestre e doutoranda pelo Programa de Pós-Graduação em Design da FAU-USP. Pesquisa a evolução do design gráfico e a estética da cultura visual digital. Foi editora de arte da Folha de São Paulo e diretora de arte da revista Elle Brasil. Desde 1998 trabalha em estúdio próprio, a Prata Design, desenvolvendo projetos gráficos editoriais, expositivos, sistemas de identidade visual e estratégias digitais para diversas instituições, empresas e editoras. É professora de Design da Faculdade de Artes Plásticas da FAAP e da Escola da Cidade.






Foto: Divulgação

Magno Silveira

Designer e bibliófilo, mineiro, 60 anos, mora há 30 anos em São José dos Campos, SP. Cursou Desenho na Fundação Mineira de Arte, Artes na Escola Guignard, em Belo Horizonte, e Design na UNIP, em São José dos Campos. Estudou identidade visual com Alexandre Wollner. Trabalhos seus foram expostos na 6ª Bienal de Design Gráfico da ADG Brasil (2002) e nas exposições individuais: Design e Artes Práticas (1999) e Marcas – Caminhos Criativos (2012). Desde 2000 coleciona a obra de Monteiro Lobato e dos seus ilustradores. Idealizou, gerou conteúdo e design da exposição “Ilustradores de Lobato – a construção do livro infantil brasileiro”, em 2015. Faz pesquisa iconográfica, textos e leitura crítica para a coleção lobatiana da Editora do Brasil e da Globo Livros (selo Biblioteca Azul).






Ilustração

Foto: Divulgação

Antonio Junião

Nascido em Campinas (SP), é formado em Artes Visuais pela Unesp/Bauru e faz jornalismo ilustrado desde 1994. Atuou como designer e cartunista em veículos como Folha de São Paulo, O Estado de São Paulo, Veja e Courrier International (França). Ganhou o Salão Internacional de Desenho para Imprensa de Porto Alegre, em 2011, o prêmio Vladimir Herzog de 2005 e menção honrosa em 2006 (categoria artes), além do prêmio de cartuns sobre Aids do Ministério da Saúde, em 2004. Na literatura, já ilustrou livros para escritores como Léo Cunha, Fausto Antonio, Moacyr Luz e Angélica Lopes. Em 2018, seu livro infantil “Meu Pai Vai Me Buscar na Escola”, no qual assina o texto e as ilustrações, foi para escolas e bibliotecas públicas do país pelo programa PNBE 2018. Tem textos publicados em livros coletivos no Brasil e Alemanha. Mora em São Paulo; cofundador, diretor de arte e projetos na Ponte Jornalismo, mídia digital especializada em Direitos Humanos, Justiça e Segurança Pública.






Foto: Divulgação

Katia Canton

Jornalista, escritora e artista visual. É bacharel em Jornalismo pela ECA USP, tem maîtrise em Literatura e Civilização Francesas pela Université de Nancy II, mestrado e doutorado em Artes Interdisciplinares pela Universidade de Nova York. É também livre-docente em Teoria e Crítica de arte pela ECA USP e professora associada no Programa Interunidades na Pós-graduação em Estética e História da Arte da USP. Sua pesquisa, desde o mestrado até os dias de hoje, é centrada nos contos de fadas. Já publicou cerca de 60 livros e ganhou vários prêmios, brasileiros e internacionais, como o Prêmio Jabuti, a menção Contemporary author, do Gale Research Institute do Michigan, EUA, Prêmios Malba Tahan e melhor adaptação literária, ambos pela FNLIJ, entre outros.






Foto: Divulgação

Renato Alarcão

Designer e artista visual formado pela School of Visual Arts (NY), Alarcão estudou também no The Center for Book Arts (NY), escolas onde aprofundou seus estudos sobre narrativas por imagens e as artes do livro. Possui trabalhos publicados em diversos jornais, revistas e livros infantis e juvenis. Seu trabalho, indicado ao prêmio Jabuti de ilustração infantil, “Madiba, o Menino Africano”, fala sobre a infância de Nelson Mandela. Participou de exposições no American Institute for the Graphic Arts, na Society of Illustrators de NY, na New York Public Library, no Centro Cultural Judaico Skirball de Los Angeles, e na Bienal de Ilustrações de Bratislava. Foi um dos membros fundadores da entidade SIB, a Sociedade dos Ilustradores do Brasil. Alarcão é também professor de artes visuais e já viajou de norte a sul do Brasil ministrando seus cursos e palestras sobre arte narrativa e criatividade. Saiba mais em www.alarcao.com.br ou no Instagram @r.alarcao






Projeto Gráfico

Foto: Divulgação

Adriana Campos

Arquiteta formada pela FAU-USP, lidera equipes de design há mais de 20 anos, com trabalhos que receberam prêmios nacionais e internacionais. É sócia da Doroteia Design (agência focada em editorial e cultura) e da Perspect. Agency (agência de branding, planejamento e estratégia). Integrou a diretoria da ADG – Associação dos Designers Gráficos. Desde 2004, é professora de Design Influences na Miami Ad School. Com visão e experiência em brand strategy, mostra a importância da construção de marca em projetos culturais e, ao mesmo tempo, leva linguagem contemporânea e design atuante para grandes corporações.






Foto: Divulgação

Carina Flexor

Foi primeiro lugar no Prêmio Jabuti, na Categoria Projeto Gráfico, em 2010 e é docente da Faculdade de Comunicação da Universidade de Brasília (UnB). Já desenvolveu vários projetos gráficos editoriais para o mercado e é apaixonada por livros, sobretudo os infantis. Dedica-se, no campo da pesquisa, à investigação de livros digitais e à experiência da leitura em ambiência digital, temas, inclusive, trabalhados em sua dissertação de mestrado e tese de doutorado, especializações realizadas no Programa de Pós-Graduação em Arte e Cultura Visual pela Universidade Federal de Goiás (UFG).






Foto: Divulgação

Cibele Bustamante

Formada em Produção Editorial pela ECO/UFRJ, mestre em Design pela ESDI/UERJ e PhD em Design e Comunicação Multimídia pelo Politécnico de Milão. Lecionou nos laboratórios de multimídia e multisensorialidade do Politécnico de Milão, nos cursos técnicos de Comunicação Visual e Multimídia do SENAI, na pós-graduação em Editoração do IUPERJ/UCAM, na pós em Ilustração e Design das Faculdades Integradas Maria Thereza e várias disciplinas dos cursos de graduação em Design Gráfico e Publicidade e Propaganda do INFNET. É pesquisadora na área de Inovação e Tecnologia focada no mercado editorial e na comunicação multimídia. À frente do Nespe desde 2016, leciona os cursos livres de Produção de E-books e Design Editorial. É coordenadora da Pós-Graduação em Edição e Gestão Editorial da UniÍtalo/Nespe; e leciona Criatividade e Inovação na Universidade Santa Úrsula.






Tradução

Foto: Divulgação

John Milton

Nascido em Birmingham, Reino Unido, 1956, é professor titular da Universidade de São Paulo em Estudos da Tradução. Ajudou a estabelecer o Programa de Pós-Graduação em Estudos de Tradução, e foi coordenador do Programa de 2012-2016. Seu principal interesse é a teoria, história, sociologia e política da tradução. No Brasil publicou “O Poder da Tradução”, Ars Poética, São Paulo, 1993 (reeditado como “Tradução: Teoria e Prática”, Martins Fontes, São Paulo, 1998; terceira edição com introdução nova, 2010); “O Clube do Livro e a Tradução”, Bauru: Editora da Universidade do Sagrado Coração (EDUSC), 2002; e fora do Brasil organizou (com Paul Bandia) “Agents of Translation”, Amsterdam: John Benjamins, 2009; e “Tradition, Tension and Translation in Turkey” (com Şehnaz Tahir Gürçağlar e Saliha Paker) (2015). Também publicou artigos em revistas acadêmicas no Brasil e em Target e The Translator, além de traduzir poesia do português para o inglês. Juntou com Marilise Bertin adaptou “Hamlet” (2005), “Romeu e Julieta” (2006) e “Otelo” (2008).






Foto: Divulgação

Raquel Luciana de Souza

Acadêmica interdisciplinar afro-brasileira, tradutora/intérprete, doutora em Antropologia Social, com especialização em Estudos da Diáspora Africana pela Universidade do Texas em Austin. Seus interesses de pesquisa são: mobilização política negra e políticas de ações afirmativas no Brasil e na América Latina; raça e exclusão socioeconômica na diáspora africana; resistência negra, identidade racial e movimentos sociais na diáspora africana; raça, gênero e sexualidade e mídia, cultura popular e representações raciais na diáspora africana; tradução entre contextos afrodiaspóricos. Seu principal campo de atuação nos últimos 20 anos está no âmbito da interpretação de pesquisadores, ativistas e eventos negres afrodiaspóricos. Raquel de Souza é membro do grupo de pesquisa “Traduzindo no Atlântico Negro” na Universidade Federal da Bahia (UFBA).






Foto: Divulgação

Walter Carlos Costa

Estudou Filologia Românica (Francês e Espanhol) na KU Leuven, Bélgica; tem doutorado pela University of Birmingham, Reino Unido, e pós-doutorado pela UFMG. É professor titular aposentado da Universidade Federal de Santa Catarina, onde atua na PGET (Pós-Graduação em Estudos da Tradução). Pesquisador do CNPq, pesquisa literatura hispano-americana (sobretudo a obra de Jorge Luis Borges), literatura comparada, estudos da tradução (especialmente a conexão entre literatura traduzida e literatura nacional). Foi presidente da ABRAPT (Associação Brasileira de Pesquisadores em Tradução) na gestão 2010-2013. Traduz poesia, ficção e ensaio do neerlandês, inglês, francês e espanhol. É professor da POET (Pós-Graduação em Estudos da Tradução), da Universidade Federal do Ceará.






Inovação

Fomento à Leitura

Foto: Divulgação

Jéssica Balbino

É jornalista e acredita que as narrativas podem transformar o mundo. Mestre em comunicação pela Unicamp, é premiada pelo Estado de Minas Gerais com o projeto Margens e pelo Minc com o livro-reportagem "Hip-Hop - A Cultura Marginal". Recebeu também, por dois anos consecutivos, o prêmio Maiores & Melhores, na categoria Assessoria de Imprensa. É autora dos livros "Hip-Hop - A Cultura Marginal" e "Traficando Conhecimento". Coordena o Margens, que realiza curadoria, divulgação e edição de conteúdo e reportagens de literatura contemporânea. Participou de eventos literários dentro e fora do país e é também curadora e produtora de projetos como o Lá na Laje, Sesc Pompeia. Faz curadoria de diferentes eventos Brasil afora. Escreve para veículos como Catraca Livre, Puta Peita, M pelo Mundo, BuzzFeed, Hysteria e Suplemento Pernambuco.






Foto: Divulgação

Neide Almeida

Escritora, poeta, educadora, gestora e produtora cultural. Socióloga, mestre em Linguística Aplicada e Especialista em Gestão Cultural Contemporânea. Docente, pesquisadora e consultora na área de leitura, literatura, direitos humanos e relações étnico-raciais. Atualmente, pela Fio.de.Contas Produções Culturais, promove ações e eventos, entre eles o Projeto “Literatura à flor da pele”. Coordena a Coleção Insurgências, Editora Jandaíra; é coeditora da Revista Sampa Mundi. Publicou, em 2018, o livro “Nós: 20 poemas e uma Oferenda”, pela Ciclo Contínuo Editorial; em 2017, a zine “Nambuê", pela MoriZines. Participa de antologias, entre elas “Um girassol nos teus cabelos: poemas para Marielle Franco”, organização Mulherio das Letras e publicado pela Quintal Edições (2018) e “Nossos poemas conjuram e gritam”, organização Lubi Prates, pela Editora Quelônio (2019). Integra o Conselho Consultivo do Instituto Ruth Guimarães.






Foto: Divulgação

Zeco Montes

Possui graduação em Administração de Empresas pela FGV-SP (1974). Trabalhou como livreiro e distribuidor, e atualmente é editor na ÔZé Editora, fundada em 2011 e especializada em publicar livros de literatura infantil e juvenil. Foi presidente da Associação Nacional de Livrarias (1982-1986) e diretor da Câmara Brasileira do Livro (1984-1988). É autor das obras: “A onça Dolores e o bode Quirino”, e “Pra onde foi o pai da Maria Borralheira”, ambas publicadas pela ÔZé editora em 2013.






Livro Brasileiro Publicado no Exterior

Foto: Divulgação

Camila Werner

Editora formada pela ECA/USP, com especialização em Tradução pela FFLCH/USP, formação executiva em Book Publishing pela FGV/RJ e mestrado em Livros e Mídias Digitais pela Universidade de Leiden (Holanda). Trabalhou em editoras no Brasil e no exterior. Foi editora do selo Escarlate (Brinque Book) e do selo Globinho. Em 2014, participou do Fellowship Program da Feira de Frankfurt focado no mercado infantojuvenil. Hoje atua como consultora, editora e tradutora freelancer.






Foto: Divulgação

Carlo Carrenho

Fundador do PublishNews, a maior fonte de notícias do mercado editorial brasileiro. Com 25 anos de experiência no mercado editorial, passou por empresas como Atlas e Ediouro, e atualmente é o responsável pelo desenvolvimento de negócios internacionais da Word Audio Publishing, a maior editora independente de audiolivros na Escandinávia. Em 2018, trouxe o conceito do PublishNews à Espanha, com notícias sobre o mundo do livro em espanhol. É formado em Economia, pela FEA-USP, e especializado em Publishing pelo Radcliffe College. Reside atualmente em Estocolmo, na Suécia.






Foto: Divulgação

Luiz Coradazzi

Graduado em Comunicação e Marketing pela ESPM, possui MBA em Gestão Executiva pela UFRJ, mestrado em Gestão de Negócios da Música pela Universidade de Westminster (Londres) e especialização em Gestão e Políticas Culturais (Universidade de Girona/Itaú Cultural). Atua há 22 anos como gestor no setor cultural, tendo colaborado com projetos e organizações como TV Cultura, Instituto Baccarelli, OSESP, Time 4 Fun e Orquestra Sinfônica de Campinas, entre outras. Entre 2011 e 2017, foi Diretor de Artes do British Council Brasil, onde implementou a plataforma de relações culturais Transform, que atingiu 2,8 milhões de pessoas. Durante o Transform, Luiz liderou a criação e curadoria de diversos programas de cooperação e formação nos segmentos de Música, Literatura, Museus, Festivais, Artes Visuais e Economia Criativa. Foi membro do Conselho Executivo da ISPA (International Society for the Performing Arts) e da Comissão de Avaliação das Organizações Sociais da Secretaria de Estado da Cultura de São Paulo. Entre 2017 e 2019, atuou como consultor junto a instituições como Goethe-Institut, Consulado dos Países Baixos, European Festivals Academy, SESC e Theatro Municipal de São Paulo. Atualmente é assessor de programação artística no Theatro Municipal de São Paulo.